quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Como não ser apaixonada por este homem?

Se o vídeo sumir de novo (apesar de eu ter subido o dito cujo, vai entender), aqui vai o link. Budapeste. Tomara que o filme seja tão bom como o livro. Entre outras coisas lindas, esta coisa de escrever no corpo do outro, que sensualidade, que coisa incrível. Budapeste não é um livro fácil de ler como Leite Derramado, mas é uma obra-prima. O filme, de Walter Carvalho (Cazuza, junto com Sandra Werneck), com certeza guarda toda a sua sensibilidade e densidade do texto de Chico.

Interessante, só agora reparei, valeu a insistência em postar este trecho magnífico de Budapeste na voz de seu autor, meu amado Chico... Não é que já neste livro ele falava de leite? "E a mulher amada cujo leite eu já sorvera..."

Um comentário:

ana disse...

Dalvinha, dalvinha...
O que posso dizer? Que é o velho Chico, o arquiteto, que um dia resolveu construir versos como se tijolos fossem, que com eles construiu poemas, que deles fez músicas, que hoje parecem ter sido meros ensaios que duraram 4 décadas, para então construir estórias de uma forma jamais imaginada por qualquer outro escritor.
Esse Valter Carvalho deve ser muito corajoso e talentoso para se aventurar a filmar as imagens paridas pela mente delirante que habita a cachola desse Chico Buarque.
Então, o que faço: primeiro leio o livro ou vejo o filme?