quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Hiroshima e Nagasaki. É sempre bom lembrar até para não acontecer de novo



Nesta quinta-feira, Hiroshima homenageia os 140 mil mortos na bomba atômica de 1945. O mundo inteiro deveria parar e fazer o mesmo até porque, sem alarmismos, não é impossível que uma tragédia semelhante se repita. Num outro contexto, em outros locais, mas, com certeza, numa escala muito maior. Quando vejo as notícias sobre o conflito na Coréia do Norte, por exemplo, tremo de medo do que pode vir a acontecer com a humanidade.
Principalmente depois do que acabei de ler no Estadão. Inacreditável esta pesquisa, mas absolutamente verdadeira e séria, foram ouvidas, sei lá, mais de duas mil pessoas. E sabem o que ela revelou? Três entre cinco americanos acreditam que o bombardeio atômico de Hiroshima e Nagasaki foi justificado e só um entre cinco acham que foi um erro. Alegam que o bombardeio foi um mal necessário para dar fim à guerra no Pacífico.
O fato da maioria dos americanos, 64 anos depois da tragédia, apoiar os bombardeios atômicos de mulheres, crianças, velhos, doentes, do modo mais horrível, me deixou absolutamente estarrecida.
Os alemães fizeram o que fizeram com os judeus, mas hoje é difícil encontrar um nazista na Alemanha. A não ser uns malucos que ninguém leva a sério. Já os americanos...

2 comentários:

ana disse...

E aqui, bem pertinho de nós, o desvairado do Chavez tá ameaçando declarar guerra à Colômbia, por conta da possibilidade dos EUA estabelecer um aparato bélico naquele país.
Sei não, mas a beligerância tá tomando proporções alarmantes em vários continentes.
Sei não, sei não...

Liliana Sarquis disse...

Os inocentes mortos nos ataques terroristas, por exemplo, às Torres Gêmeas, também não podem ser considerados vítimas necessárias à causa pelos seguidores de Bin Laden? Os milhares (ou seriam milhões) de índios dizimados nas Américas também não sumiram do mapa por "uma causa maior"? E as "limpezas" étinicas? Dependendo do ponto de vista (e de preconceito) também não tem sua razão de ser? O problema é que uma parte da humanidade adora guerra, por um motivo ou outro ($$$$). E o resto que se dane. Mas pra ficar bem na fita, nada melhor do que arranjar uma desculpa, criar um "motivo justo e inevitável". Bando de babacas. Tinham que nascer mulher, favelada, negra, com dez filhos menores, fazerem faxinas em diversos pontos do Rio e ainda encarar tanque e fogão quando chegassem em casa. Duvido que teriam tempo de pensar em destruir tudo que não agrada. Tomara que tenha reencarnação e minha praga seja tipo pós-vida.