sábado, 13 de junho de 2009

Ainda e sempre Copacabana


Às vezes eu fico me perguntando de onde vem o estranho afeto que tenho por Copacabana, um sentimento meio que irracional, extremado de amor e, ao mesmo tempo, de piedade, por vê-la tão machucada, suja. E, dói-me falar, decadente. Não foi em Copacabana que vivi - a não ser durante os anos do Bairro Peixoto, este sim, ainda um lugar intocável(até quando?),parecendo perdido no tempo, em meio ao caos à sua volta. É o Lido, basicamente, que me remete a Copacabana. Duvivier. Rodolfo Dantas. Belfort Roxo. Viveiros de Castro. Carvalho de Mendonça. Paula Freitas. Avenida Atlântica. Sabor de adolescência, de Cuba Libre, bossa-nova e Bobs. Para os amantes de Copacabana. Esta foto é só um brinde. Tem muito mais no Copacabana de Toledo.

4 comentários:

Liana disse...

Dalvinha querida, compartilho com você esse afeto...Copacabana está dentro e fundo no meu coração.
Esse seu blog me deu uma sensação gostosa de proximidade...ah esse admirável mundo novo!

Beijo e amor, da sobrinha,

Mana

ana de toledo disse...

Olá Cris!
Obrigada pelo carinho e visita ao copablog!
Sabe, nasci em Copacabana e aí morei até completar 6 anos. Vivi mais de 20 anos no Leblon e 15 na Urca. Agora estou no Leme.
Tenho uma grande admiração pela história do bairro e um afeto de criança por ter passado minhas férias na casa dpos meus avós, que moraram por lá até 2002, quando minha avó partiu!
Não há nada mais belo e grandioso do que suas memórias, sua formação, as pessoas que fizeram dele o bairro mais importante e citado do mundo!
Um beijo

Anônimo disse...

A rua então onde cresci, a Rodolfo Dantas, putz, decadente é pouco. Eu andava de bicicleta, de tão larga que era. Hoje a gente mal consegue andar. Mas é o seguinte, o mesmo salão onde minha me levava pra cortar o cabelo, ñ lembro o nome, acho q. é Femme, alguma coisa assim, ainda tá lá, acredita? Só tinha ele, chiquérrimo. Hoje tá cheio de umas espeluncas.
Mas quer saber, amo de paixão Copacabana, ainda fico na mesma rua qdo. vou pro Rio. Foi lá q. ficou meu coração, minha melhores lembranças, uma Copacabana inesquecível...
Beijão, Dalvinha, saudades de vc.
Ana Borges (contiinuo tendo q. assinar pq. só consigo entrar como "anônima". Ótimo, ñ?)
Mas tá tudo bem, o q. importa é q. tô aqui...

Julia disse...

Eu nem preciso me perguntar, já que passei grande parte da infancia em Copa... tá cada dia pior mas ainda tem aquela vibe unica...