terça-feira, 13 de outubro de 2009

Vou desistir de Viver a vida

Viver a vida está um saco. E quem está falando é uma noveleira assumida que não perde uma novela das nove desde que ela era novela das oito. Algumas são melhores, outras piores, e me marcam tanto que costumo até esquecer até a trama depois que elas acabam, num passe de mágica. Sim, também considero uma perda de tempo passar meses acompanhando a vida daquelas pessoas de mentira, com vidas de mentira, seus dramas, seus amores, seus desencantos, sabendo, de anemão, que tudo vai terminar às mil maravilhas.
Mesmo assim, desde que colocamos uma TV no quarto, desde então, comecei a me viciar em novelas. No começo, eu até jurava para mim mesma que aquela era a última novela que assistiria na vida, promessa, é claro, jamais cumprida. Tentava mesmo não assistir e só sucumbia quando todo mundo já estava falando na dita cuja. Logo vi, porém, que não adiantava brigar. Desde então, acompanho uma novela depois da outra, desde o primeiro capítulo e não gosto de perder nenhum. Bem compulsiva mesmo.
Só estou falando isso para situar. Porque estou pensando seriamente em desistir de Viver a vida para viver mais a vida, entenderam? Comecei a assistir a novela com todo meu entusiasmo, gosto de novela do Manoel Carlos, com suas Helenas, o Leblon aquilo que já se sabe, tipo olho mágico mesmo. O elenco era bom e tinha a Lília Cabral, não dava para perder. Em pra falar a verdade, nem cheguei a cogitar disso...
Aliás, a verdade é que só não parei (ainda) de assistir Viver a vida por causa dela, a Lília Cabral, sempre maravilhosa, sempre especialíssima, única. Impressionante esta mulher e o modo como encarna suas personagens de um modo assim tão completo. Por enquanto, Lília Cabral está conseguindo, de uma certa forma, salvar a novela. O resto está insosso que dói. A história, as tramas, o texto, a interpretação dos atores e atrizes. Gosto da trilha também. Teve umas cenas legais, como as imagens da lua-de-mel de Helena e Marcos em Pari ou as aulas de salsa que a copeira dá às granfininhas da novela, até pode ser que venha a engrenar, pode ser. A Globo não joga para perder. No entanto, chega uma hora que até quem sempre ganha acaba perdendo...

5 comentários:

Liliana Sarquis disse...

por incrível que pareça consegui assistir pela primeira vez, hoje, um capítulo inteiro. Mas sempre sei por alto o que está acontecendo. Tive a mesma impressão. A Lilian Cabral é a que salva a novela. Ela na cama, falando dom as filhas (são filhas, né?)... Quem escreve para a personagem da taís araujo está exagerando na bondade da Helena. Chaaaata. Igual ao Zé Mayer, sempre com a mesma cara, o mesmo garanhão, gostosão...Será que ele nunca vai fazerr um papel de vilão, daqueles bem mau, que a gente adora??? Até gosto do manoel Carlos, ver aqueles lugares adoráveis do rio, as trilhas sonoras, mas sejamos sinceros, eçe é muito repetitivo!!!!Os pobres nunca são muito pobres, tem carros, moram na zona sul do rio (mesmo quendo são porteiros ou empregadas domésticas parecem que não passam muitos perrengues). Todos viajam com facilidade. Recentemente revi Senhora do Destino, com a magnífica Nazaré, ou melhor Naza (Renata Sorrah) e o Wilker como ex-bicheiro...parece que a audiencia foi muito boa para uma reprise ainda mais as 14h30. Também, com personagens bem construidos fica mais fácil. do jeito que está indo, só mesmo disistindo de ver viver a vida para vivê-la na realidade. Pelo menos eu vejo só uma ves por semana. Dá pra saber tudo mesmo...

Cris V disse...

Lilizinha, vc. terminou de falar o que eu não falei para que o post não ficasse grande demais. É isso mesmo, nunca vi novela tão chata. Fui! Eu até perco uma hora da minha vida para curtir uma novelinha, meu deu este direito, mas só se estiver legal, pra ficar reclamando, achando tudo um saco, melhor desligar a TV ou mudar de canal. Agora, eu sou meio radical, quando assisto, assisto mesmo, não consigo assistir apenas uma vez por semana, como vc.Com compulsão, tem que ser assim. Radical.

Liliana Sarquis disse...

Mesmo que eu quisesse ver um capítulo inteiro, ser radical, como diz vc não poderia.Isso não me pertence mais. Tenho um boteco pra cuidar. rsrsrsr

d´Ávila disse...

Sempre falei que Manoel Carlos é um chato e que nas novelas dele não acontecedm nada. A Favorita deu uma renovada no gênero e o público percebeu que pode ser melhor.

Teodoro disse...

Mami também está achando tudo muito chato. Mas ela não conta muito, pois tem um hábito estranho de gostar mais de ler sobre as novelas na Revista da TV e outras revistas do que propriamente assistir à novela...