terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Tolerância zero com os mijões


Taí uma medida que aprovo inteiramente, sem medo de ser taxada de fascista. Torço para que a tolerância zero com relação aos mijões recém-adotada no Rio de Janeiro venha a ser adotada o quanto antes aqui em Friburgo e no resto do país. Porque, na verdade, quem sabe ela não dê um jeito nesa situação. Que, infelizmente, é uma prática, creio que generalizada, em nosso país.

Os homens (nem todos, mas a maioria), acham que têm todo o direito de abrir a calça e fazer xixi sempre que têm vontade e não houver um banheiro por perto. Todos conhecemos homens, alguns bem próximos a nós, que ainda se irritam quando dizemos que isso é falta de educação. Eles não fazem por mal, coitados. Aprenderam assim. Ou você já não viu mães ensinando seus menininhos a fazer xixi nos muros, árvores e carros? Então, eles crescem achando que é assim que se faz.

No primeiro dia do choque de ordem implantado pelo prefeito do Rio, que mandou levar para a delegacia quem estivesse urinando na rua, 223 pessoas foram presas, entre as quais apenas dez mulheres. Um número insignificante. Mesmo assim, deviam estar bêbadas ou desesperadas, porque em sã consciência, nenhuma mulher sai por aí, em plena rua, abaixando a calcinha e fazendo xixi.

Achei a medida excelente e muito educativa, pois funciona até como exemplo mesmo para quem não foi preso. Não dá mais para ninguém alegar que não tem nada de mais fazer xixi na rua. E, sabendo que podem vir a ser presos se fizerem aquilo, vão refletir mais antes de continuar fazendo o que sempre fizeram.


2 comentários:

Liliana Sarquis disse...

acredita que outro dia um fdp que estava bebendo no Internacional gourme, ao nosso lado, lá pelas duas da manhã, ficou com preguiça de entrar e ir no banheiro do estabelecimento que estava e resolveu mijar bem na porta da loja (um pequena papelaria) bem ao lado do nosso bar? O detalhe: estávamos com clientes (homens, ainda bem) sentados lá fora. A Deise viu e ficou revoltada, quase quebra o pau (o pau do cara não!) com o babaca. Ainda bem que eu estava na cozinha.

Monique disse...

Educação vem de casa, sem dúvida, mas quando os pais não ensinam, o poder público o faz mediante punição.Tolerância zero à falta de educação!