sábado, 21 de novembro de 2009

A COISA ESTÁ FICANDO PRETA


Vale a pena refletir:
* O jornal Estado de São Paulo está sob forte censura governamental há mais de cem dias.
* O Programa do Jô tirou do ar (sem dar qualquer satisfação ao público) o quadro "As Meninas do Jô" que era apresentado às quartas feiras, onde as jornalistas Lílian Witte Fibe, Ana Maria Tahan, Cristiana Lobo, Lúcia Hippólito debatiam as falcatruas dos corruptos que se apossaram do governo.
* O jornalista Arnaldo Jabor vem sofrendo, de forma velada e sistemática, todo tipo de retaliação. Sua participação diária na Rádio CBN tem se limitado a assuntos sem relevância, pois estaria impedido de falar sobre assuntos que envolvam a política nacional e o atual governo.
* A jornalista Lúcia Hippólito, que tinha uma participação diária, às 8h na Rádio CBN, não está mais ocupando o microfone da emissora, passando a âncora em outro horário, onde enfoca matérias mais amenas e sem sua habitual contundência.
* Diogo Mainardi, da Veja, vem sofrendo ameaças de morte por parte de aliados de Lula e de integrantes dos movimentos sociais.




Um comentário:

Liliana Sarquis disse...

Mas isso passa tão batido pelo grande público...
A censura realmente é uma das coisas mais idiotas que existe, mas - o pior - quando "bem feita" dá os efeitos desejados aos seus interessados. Não estou falando de uma pequena parte que fica atenta a essas coisas, mas na maioria é tiro e queda. Ninguém pensa mais no assunto, saiu da grande mídia, dançou. Isso realmente acaba tendo um efeito, na minha opinião, devastador. Quanto mais se censura _ e aqui eu falo em censura de uma forma abrangente (quantos têm coragem de dizer, por exemplo, que é ateu?)- mais se pasteuriza o pensamento, menos se abre o leque. Um saco.